Carregando Eventos

« Todos Eventos

  • Este evento já passou.

Mostra de Inverno – Artes Cênicas 2017

junho 19 @ 10:00 - julho 3 @ 22:00

 

Orientação: Iza Koplelman

 

Dez anos se passaram desde o final da segunda guerra mundial, desde que as tropas aliadas venceram o nazi-fascismo. Dez anos se passaram desde que uma pacata cidadezinha do interior do Brasil venceu sua pobreza e insignificância nacional e tornou-se um promissor polo turístico, orgulho de seus moradores por ter sido o berço do herói, Cabo Jorge, o pracinha brasileiro que enfrentou de peito aberto as tropas inimigas. Em sua homenagem, a cidade passa a ter seu nome – Cabo Jorge, heroi da Força Expedicionária Brasileira! Encenar o Berço do Heroi em 2017 é rever a história desse país sem memória, rever a manipulação do imaginário pela mídia; é se assustar com a repetição dos fatos, é lutar para que o fascismo não se instale novamente. Em 1964, Paulo Francis ao comentar a peça, nos lembra uma frase do líder do partido nazista, Hermann Göring: “Quando ouço falar de cultura, sinto vontade de sacar o revólver.” É assustador como tal frase reencontre seu lugar no mundo atual. Por isso retomamos a peça: Nazistas, Fascistas, não passarão!

FICHA TÉCNICA

Texto: Dias Gomes Direção: Verônica Fabrini Assistência de direção: Júlia Prudêncio Preparação corporal: Eduardo Okamoto e Maria Renata R. Furlanetti Preparação vocal: Rodrigo Spina Apoio teórico: Eduardo Okamoto Consultoria visual: Helô Cardoso Cenário e figurino: Gabih Fuziyama, Helô Cardoso e o grupo Consultoria audiovisual: Pedro Maciel Guimarães e René Guerra Produção audiovisual: Beatriz Souza, Giovane Agapito, Ingrid Fernandes, Isabela Pardinho, Julia Mattos, Kaluã Leone, Larissa Kilian, Lucas Galego, Marina Kodato, Marina Pires, Samuel Mariani, Taís B. Gogorza Elenco: Antonino Vaz, Bruno Rods, Dandara Lequi, Daniella De Divitiis Sória, Fernanda Zancopé, Isabella Marino, Larissa Souza, Luiza Válio, Taiana Cuschnir Avritchir, Victor Sousa Atores convidados: Jean Luz, Presto Kowask Participação especial: Igor Amanajás.

 

 

Várias são as imagens e associações que podem emergir quando ouvimos a palavra Subsolo: o que está abaixo do solo, o subterrâneo, o que não é visto a priori, o que está escondido… No nosso caso, essas e outras possibilidades foram acolhidas a fim de tentar dar vida a nove solos que se entrelaçam ao longo do espetáculo. Nove solos, nove realidades muito diferentes, mas que ao mesmo tempo carregam algo em comum: uma busca de escavação, uma tentativa de ir além da aparência imediata das coisas. O realismo não é visto aqui como estilo mas como construção e desconstrução de experiências. Onde conseguiremos chegar com esse processo? Uma pergunta sem resposta. Mas uma coisa parece ser certa, como já dito por alguém especial: “A realidade é tudo aquilo que insiste”.

FICHA TÉCNICA

Nome do Espetáculo: Subsolos Direção: Matteo Bonfitto Assistente de direção e PAD: Sofia Fransolin Dramaturgismo: Matteo Bonfitto, Sofia Fransolin e grupo. Consultoria Visual: Helô Cardoso e Victor Akkas. Cenografia: Aléxia Lorrana, Ainá Bento, Jeison Lopes, Lucas Paranhos, Natalia Panariello, Victor Santos. Apoio Teórico: Eduardo Okamoto, Cassiano Sydow Quilici, Matteo Bonfitto e Suzi Sperber. Preparação Vocal: Rodrigo Spina Preparação Corporal: Eduardo Okamoto e Maria Renata R. Furlanetti Música: Pedro Barsalini Concepção musical: Cadu Cardoso, Lucas Paranhos, Pedro Barsalini, Matteo Bonfitto e grupo. Iluminação: Lucas Paranhos e Cadu Cardoso. Produção: Allan Kawabata, Samantha Rossetti e William Tavares. Figurino: Kara Ariza e grupo. Concepção de maquiagem: Desirée Aguiar e grupo. Elenco: Ainá Bento, Aléxia Lorrana, Allan Kawabata, Cadu Cardoso, Desirée Aguiar, Lucas Paranhos, Kara Ariza, Samantha Rossetti e William Tavares. Agradecimentos: Cassiano Sydow Quilici, Jeison Lopes, Natalia Panariello, Pedro Barsalini, Suzi Sperber, Victor Akkas, Victor Santos.

 

 

A festa é o lugar… a mulher é Perséfone… a festa é o lugar… a mulher é o não lugar a festa é o lugar para exercer a felicidade… plenamente… ou para se perceber ausente…por não pertencer… a mulher é Perséfone a mulher é Cora a mulher é quem não a mulher é quem isso sim a mulher é não a mulher é Persefone… uma menina deusa uma jovem deusa admirada assediada por quase todos imagina uma mulher como a mulher assediada por quase todos todos os dias a todos negada pelo bem aliciada para o mal pelo mal sequestrada e por todos raptada durante a festa pelo homem a mulher é aliciada antes de ser e a festa continua a mulher é violada e a festa continua a mulher… em coma… a mulher é subsumida a exemplo de dominado feliz em festa… dominado feliz em midiática festa… ser humano em coma civilizacional… vamos dançar… Contra.

FICHA TÉCNICA

Direção: Mario Santana Assistência de direção: Aline Nunes Laboratório de Práticas Corporais: Grácia Navarro Laboratório de Práticas Vocais: Gina Monge Dramaturgismo: Cassiano Sydow Orientação visual: Helô Cardoso Cenografia e Figurino: o grupo Iluminação e Sonoplastia: o grupo Apoio técnico-operacional: Anderson Bonato, Erick Baptista, Marcão, Valmir Perez Elenco: Aline Moreira, Beatriz Benvengo, Beatriz Magosso, Beatriz Schwartz, Cristina Bagdzius, Eder Asa, Fernanda Passarelli, Gabriele Motta, Gabriel Góes, Gabriel Pangonis, Helena Franco, Juliana Leite, Laura Espinoza, Luan Assunção, Lucas Fernandes, Maira Hazeu, Marcela Borges, Marcella Bolzan, Mariana Shishito, Melina Rodrigues, Mellanie Grilo, Rafael Marotti, Thamires Araújo, Willian Escodro.

 

 

A turma 016 abre para o público seus processos criativos orientados em sala de aula nas Disciplinas: “Princípios da Ação Cênica”, ministrada pelo professor Roberto Mallet, apresenta cenas curtas baseadas na obra “Os Sete Gatinhos”, de Nelson Rodrigues. As cenas têm como finalidade o aprendizado dos estudantes ao pensar e agir em cena, trazendo princípios básicos da encenação e possuindo como disparador poético um texto teatral. “A Palavra e a Ação”, ministrada pela professora Isa Kopelman, traz cenas de diferentes estímulos: “Otelo, O Mouro de Veneza”, de William Shakespeare; “Eu Estava Sentado no meu Pátio Esse Cara Apareceu e Eu Pensei que Estava Alucinando”, de Bob Wilson; “Odisséia – Canto XI”, de Homero; e textos de bula de remédio. “Formas do Teatro Dramático e Derivações”, ministrada pelo professor Cassiano Quilici, traz resultados cênicos do estudo da peça “A Dama do Mar”, de Henrik Ibsen, e sua adaptação, de mesmo nome, pela autora Susan Sontag.

FICHA TÉCNICA

Estudantes das três disciplinas: Ainá Ayofemi de Campos Bento, Alessandra de Sousa Gomes Mata, Alice Caroline da Rosa, Andressa Herbst Sanday, Beatriz Magosso, Bruna Maria Pressalto Fernandes, Bruno Mariani de Souza Azevedo, Catarina Eichenberger, Claudia Monique Silva Ferreira, Daniel Ribeiro Fernandes Aleixo, Dayani Da Silva Albuquerque, Fernando Vitor da Silva, Flora Ainá Rossi de Araujo, Gabriel Nascimento Delicato, Gabriel Pestana Ludwig, Gabriela Mendes Davoili, Giovana Telles, Julia Cerqueira da Cruz, Julia Santos Lacerda, Juliana Camargo Leite, Jasmine Maximiliene Alves, João Pedro Martins Speckart, Juliana Eiras, Laura Baldassim Tomé, Maria Vitória Royer Moura, Mariana Sonati Nobre, Mônica Yumi Jardim da Silveira, Pamela de Assis Castro Leoni, Paula Bianchini Colontonio, Pedro Enrique Viana Santos, Pedro Ernesto Gasparette de C. Ferreira, Raissa Oliveira de Lima, Tomás Hanser Saraiva, Victor Hugo Camargo de Sousa.

 

 

Detalhes

Início:
junho 19 @ 10:00
Final:
julho 3 @ 22:00
Evento Categorias:
, ,

Local

Rua Pitágoras, 500
Instituto de Artes - PAVIARTES
Campinas, São Paulo 13083-970 Brazil
+ Google Map