Retratos, Memória e Identidade: uma aproximação entre a monotipia e a fotografia.

Trata-se de um relato sobre o percurso da construção poética sobre questões relacionadas à memória e identidade, tendo como foco a monotipia e posteriormente a fotografia. São experiências, pensamentos e inferências acerca da produção artística juntamente com técnicas mistas, como: collagraph e impressão sobre acetato, desenvolvidas junto ao Centro de Pesquisa em Gravura da Unicamp. Na temática do rosto temos a inferência do olhar, a apropriação do retrato fotográfico de família, a memória como desencadeadora de sensações e lembranças do passado, e a busca de uma identidade/diferença que precisa ser representada. A pesquisa da monotipia, como linguagem adotada, segue-se da técnica com impressão sobre acetato e os resultados dessas experiências, como as formas obtidas se relacionam diretamente com o conteúdo, o desdobramento do suporte do papel para argila e suas implicações quanto ao conteúdo e a forma.

Juliana Georg Bender



A Suspensão do Corpo e a Busca da Matéria na Terra, no Vermelho, no Azul

Este trabalho propõe-se a realizar um estudo sobre a interpretação poética do corpo humano, materializada pelo resgate da memória dos estímulos visuais e táteis experimentados no contato com a anatomia do corpo em cirurgias oncológicas.
Apresenta a composição harmoniosa e complementar entre o repertório de relações sensoriais e cognitivas com as linguagens poéticas, expondo as essências do corpo humano através de elementos plásticos e visuais, que permeiam a criação artística das organicidades do interior do corpo humano. A observação cuidadosa desvenda superfícies, texturas, cores e camadas, num desdobramento expressivo das nuances e mistérios da vida, pulsante no corpo.

Denise Barros

leia matéria no Portal da Unicamp

galeria de arte instituto de artes