Aqui você vai encontrar todas as dicas que foram enviadas por e-mail desde 16 de Abril de 2004

Para quem quiser receber as dicas é só se inscrever aqui



Análise das condições elétricas em espaços alternativos

Quando o iluminador se defronta com espaços alternativos para montagem de sua iluminação precisa saber muito bem como determinar a carga total exigida pelos equipamentos.
Geralmente equipamentos convencionais utilizam lâmpadas de tensão,220 V (volts), assim como a saída dos racks das mesas de iluminação.
Os racks, são as fontes principais de distribuição das tensões por canais. Na maioria das mesas analógicas esses racks têm 6 canais com 4 entradas (tomadas) de 1000 W (watts), ou seja, você poderá plugar em cada canal uma lãmpada de até 1000 W de potência, ou 2 lâmpadas de 500 W, ou 5 lâmpadas de 200 W e assim por diante.
Para cada canal, então, você poderá colocar no máximo 4000 W. Essas definições você encontrará escritas na própria lãmpada. Um exemplo seria uma lâmpada halógena para elipsoidal de 220 V de tensão e 1000 W de potência.

Devemos saber que os racks são ligados geralmente em quadros de força que, por medidas de segurança, devem possuir disjuntores automáticos. Esses disjuntores geralmente são termo-magnéticos, ou seja, desligam automaticamente com o aumento de temperatura e, os mais modernos, com a simples aproximação de um objeto. Isso acontece para que os cabos e toda estrutra não venha a apresentar temperaturas elevadas, provocando incêndios e choques elétricos em quem os manuseia. Os disjuntores possuem tamanhos e capacidades de correntes diferentes que são dadas em A (ampére)

Mas vamos supor, que você utilize durante o espetáculo um pico de 20.000 w, ou seja, 20 refletores de 1000 w ligados de uma só vez numa geral. Para fazer a ligações seguras, você deverá determinar a corrente total utilizada nesse caso, isso para não sobrecarregar o disjuntor e esse, desligar durante o espetáculo.

O cálculo é simples, basta dividir a potência total (20.000 W) pela tensão utilizada (220 V). Isso vai dar: 90,91 A (ampére), ou seja a corrente total.
Verifique então se o disjuntor possui uma capacidade maior que essa.
Geralmente, trabalha-se com uma margem de 10% sobre a corrente, ou seja, no nosso caso poderíamos utilizar um disjuntor de 100 A (ampére). isso se dá porque se houver algum problema de superaquecimento e o disjuntor possuir uma capacidade, por exemplo de 250 A (ampére) ele demorará muito para desligar, o que também não é aconselhável.
Fora isso, a fiação utilizada deve ser sempre compatível com a distãncia entre os pontos e a grossura (seção) dos cabos. Sempre consulte uma tabela que poderá ser adquirida nos revendedores.
Para fazer montagens elétricas é sempre importante a presença de um eletricista experiente. Nunca trabalhe sem observar essas medidas de segurança.