Aqui você vai encontrar todas as dicas que foram enviadas por e-mail desde 16 de Abril de 2004

Para quem quiser receber as dicas é só se inscrever aqui



A Importância da Iluminação na Captação de Imagens - EAD (Ensino a Distância)

Essa dica é o resultado de uma entrevista ao Grupo de Ensino a Distância do Centro de Computação da Unicamp para publicação em seu Boletim EAD.

 


1_ Qual a importância de um bom sistema de iluminação para captação de imagens?

A iluminação não é apenas fundamental, é simplesmente tudo. Devemos entender que o que se capta na câmera não é o objeto em si, mas a luz refletida por esse objeto. Sem uma boa iluminação não existe uma boa captação.
Quando falamos em "boa iluminação" estamos querendo dizer que as luzes do set (estúdio), locação interna ou externa, foram corrigidas para um padrão aceitável. Nosso olho consegue muito rapidamente equilibrar as cores que vemos no mundo real. Já com as câmeras isso é mais complicado.
Uma coisa importantíssima no trabalho de iluminação é a correção de temperatura de cor. O que seria isso? Explico: Enquanto o cinema e a televisão eram em preto e branco e tons de cinza, não havia necessidade do equilíbrio das cores na captação de imagens. Já com o cinema e a televisão coloridos, ficou patente a necessidade de busca de um padrão de iluminação para se conseguir equilíbrios de cores padronizados. Películas e câmeras de televisão começaram então a utilizar o padrão de temperatura de cor de 3200 graus Kelvin. Isso foi conseguido depois de algumas experiências. Utilizou-se um pequeno pedaço de material de tungstênio que foi sendo esquentado. Na medida em que sua cor ficasse próxima a da luz do sol entrando por uma janela e projetada numa tela clara, mediu-se a temperatura do material em graus Kelvin. Com 3200 graus Kelvin a barra de tungstênio apresentava a mesma impressão luminosa que a luz na tela. A partir daí então as películas de cinema e as câmeras de tv foram fabricadas para trabalhar esse padrão. Hoje em dia, mesmo com as câmeras digitais, a iluminação em 3200 K continua padrão.
Para se conseguir, por exemplo, corrigir uma iluminação de lâmpada caseira para 5600 K, utiliza-se o que se denomina de filtro corretor. Ele irá aumentar a temperatura de cor desse tipo de lâmpada (aproximadamente 2600 K) para 5600 K. Isso se faz necessário quando, por exemplo, temos uma gravação utilizando iluminação comum e luz do sol entrando no set. Já o contrário também é possível quando, por exemplo, baixamos a temperatura da luz do sol que entra por uma janela da locação (5600 K), para uma Lâmpada de tungstênio de 3200 K.
O sistema de iluminação também não se restringe apenas à correção de temperatura de cor. Existem também os filtros difusores de iluminação, polarizadores, etc. Um bom posicionamento de iluminação, elementos de cena e câmeras fazem enorme diferença no produto final. Dependendo do espaço e equipamentos utilizados, devemos resolver com conceitos diferenciados. Mas no geral, obedecemos quase sempre a técnicas relativamente simples, principalmente em pequenos estúdios. Não cabe aqui entrar em detalhes, acho que poderíamos deixar para uma outra ocasião os aspectos mais específicos. Quem se interessar pelo assunto encontrará algumas sugestões de sites no final dessa entrevista.


2) Qual a relevância do mobiliário e elementos de cena na captação de imagens?


Elementos de cena fabricados com materiais muito refletivos não são aconselháveis. Quanto às cores, principalmente das mesas, devem ser de tons próximos aos tons da pele, isso facilitará sobremaneira o trabalho de correção da luz nos atores, principalmente em estúdios pequenos com poucos recursos de iluminação. Mesas vermelhas provocarão reflexões vermelhas, avermelhando a pele de quem está no campo receptor dessa reflexão.
Outros elementos de cena tais como: armários, livros, cadeiras, etc, podem possuir tons mais fortes, porém, devemos sempre nos preocupar com as questões estéticas, de combinação e contrastes de cores e reflexão da luz.
O mais importante é ter em mente de que tudo que está em cena deve ter uma função tanto técnica como estética, ou seja, nada deve estar "por acaso". Tudo o que compôe a cena é importante, é linguagem, é expressão.
As funções técnicas do mobiliário estão mais ligadas ao conforto e a padrões aceitáveis de reflexão da luz. As funções estéticas são aquelas que constroem as referências expressivas das cenas: requinte, modernidade, naturalidade, etc.

3) Quais são os cuidados básicos que devemos ter ao projetarmos um estúdio quanto ao Piso, teto e paredes, relacionados ao sistema de iluminação?

Um set ou estúdio para captação de imagens deve possuir algumas características que proporcionem uma melhor performance das atividades, assim como os elementos que o constituem. Entre eles podemos citar:


a) Dimensões compatíveis com o ângulo de abertura focal:


Espaços muito pequenos dificultam tomadas panorâmicas da cena, pois, a abertura focal (área de beam e field de abertura de lente - onde beam é o menor campo de zoom da máquina e field é o maior), deve conseguir abranger os elementos cênicos, fundos, atores, etc. Além disso, se o que chamamos de pé direito (altura do set) for muito baixo, surgirão dificuldades nas montagens de estruturas elétricas e de suporte de iluminação, ocorrerá também um aumento na temperatura interna do estúdio, devido é claro, aos equipamentos de iluminação ali instalados.
No caso de sets pequenos, devemos ter a preocupação de utilizar lâmpadas com potências menores, até mesmo para proporcionar conforto no trabalho dos atores, âncoras, etc. Hoje também dispomos no mercado de lâmpadas frias (flourescentes) de 5600 K dimerizaáveis, o que é ótimo para pequenos e médios estúdios. Na especificidade de cursos à distância, poderíamos também resolver problemas de estrutura e de pé direito baixo com a montagem lateral de iluminação chave (key light) e de preenchimento (Fill light) em plano médio (luminárias em tripés) e de luminárias de contra-luzes (back light) também laterais, essas apenas um pouco mais altas.

b) Janelas e portas:
Devem manter-se preferivelmente fechadas durante as gravações e, é claro, com tapumes e cortinas que evitem a entrada de luzes externas. Isso se deve ao fato de que as luzes externas tem temperaturas de cor diferente das lâmpadas e, o mais importante, é que a luz natural muda muito rapidamente, o que faria com que uma gravação longa tivesse luzes diferentes.. Mas para que isso não transforme o estúdio em um "forno" devido às altas temperaturas da iluminação, aconselha-se também a utilização de ar-condicionado, porém, com tubulação vinda de uma central externa ao set. Ar-condicionado e captação de som não combinam, inclusive se a ligação elétrica do som e do equipamento de ar estiverem conectadas num mesmo quadro de distribuição elétrica.
Outro inconveniente na abertura de portas e janelas é a facilitação de entrada de ruídos no estúdio que sempre influenciará negativamente uma boa captação de som.


c) Pisos:
Quanto aos pisos, existem dois problemas centrais: o rebatimento ou reflexão da luz e problemas relacionados à ambiência (reflexão sonora nos ambientes).

Pisos muito claros e brilhantes podem provocar reflexos de contra-luzes (back light) na lente das câmeras e reflexos no set, nos atores e nos elementos. Aconselha-se a utilização de pisos de material emborrachado ou carpetes de tons escuros, geralmente pretos, cinzas, azuis, enfim cores frias. Cores vivas e quentes podem apresentar problemas de radiosidade (reflexão colorida) indesejada. Já o som, se comportará melhor nesses materiais que absorvem mais as ondas sonoras


4) Quais as dicas que você daria para pessoas que desejam montar um estúdio e não tenha muita disponibilidade financeira para ser gasta com um sistema de iluminação?

A primeira dica que eu daria é a seguinte: "Já que o dinheiro está curto, gaste-o com muito cuidado. Procure alguém que entenda do assunto e não faça nada sem ter a certeza de que vai dar certo".
Durante minha vida profissional tenho me deparado com gente que tinha muito boa vontade e determinação, mas esqueceu que essas duas coisas apenas não bastam. É preciso também conhecer muito bem o que se deseja realizar. Aqui na universidade e do lado de fora tenho visto muito coisa ruim em termos de vídeo na web. Tem gente que acha que linguagem visual não é nada. Aí é que se engana. Linguagem visual é mais importante do que se imagina. Não podemos esquecer que somos a terceira ou quarta geração da televisão. As pessoas estão ficando cada vez mais exigentes quando se trata de imagem na telinha.
Transformar um ambiente qualquer em um bom estúdio não é tarefa fácil, acho mesmo impossível, devido às características peculiares de um ambiente como esse, porém, acredito que seja possível transformar uma sala de tamanho médio (6,0 x 6,0 metros) em um estúdio viável para captação. Se ela tiver pé direito (altura de chão ao teto) mais alto que o normal, 2,8 m tanto melhor.
Um sistema de iluminação para uma sala como essa pode ser mais simples, sem mesas de controle. Fica mais barato, mas para quem quer qualidade não é o desejável. Digo isso porque acredito que daqui em diante, ninguém que queira ter padrão de ensino pode se dar ao luxo de negar as novas tecnologias de informação e não apresentar materiais de qualidade na mídia internet. Já para quem quer ter um espaço de captação apenas por hobby, que não tenha compromissos mais sérios com o produto final, qualquer lugar serve.
Outra coisa que deve ficar bem clara é que a linguagem na mídia internet tem suas leis que devem ser respeitadas. Não tem nada pior do que gravar duas horas de aula olhando para a lente da câmera, num lugar feio e mal iluminado e depois disponibilizar tudo isso na íntegra e na internet. Ninguém no mundo tem obrigação de ficar parado diante de um absurdo desses. Na telinha o universo temporal é outro, assim como também o universo imagético. O que precisamos urgentemente é de gente qualificada para trabalhar isso tudo e disponibilizar materiais mais interessantes, mais ricos, mais "artísticos". Não estou dizendo que a aula que o professor inseriu na mídia é ruim, pelo contrário. O que é ruim é a maneira de se colocar esse conhecimento on-line. Tudo é feito sem preocupação com o espectador. Sem roteiro, sem pé nem cabeça. Fica aqui meu conselho para quem trabalha com EAD: "Não perca a oportunidade de inovar baseado em conhecimentos muito bem fundamentados de linguagem visual". Inovação e técnica devem caminhar juntas no sentido de proporcionar qualidade de informação.

5) Quais os detalhes que normalmente são encontrados em uma sala comum, que se pretende transformar em estúdio, que possa tornar inviável uma boa iluminação?

Na minha opinião existem outras urgências anteriores. O que temos que realmente fazer é nos perguntar o seguinte: "Será que essa sala oferecerá condições mínimas para aquilo que pretendo realizar?" O que automaticamente nos levará a uma outra pergunta: "Será que eu realmente sei o que fazer para transformar esse ambiente em um ambiente viável para minhas gravações?" Ou: "Será que o que eu quero fazer não está acima de limites que eu desconheça?" Ou ainda: "Será que realmente o que quero está correto? Ou seja:erá que o que eu quero é o que eu tenho que querer? Parece brincadeira não é? Mas não é não.
Gostaria que todos que lessem essa pequena entrevista e quisessem realmente fazer um projeto decente percebessem que a grande dificuldade e ao mesmo tempo resposta para os problemas do setor é a mesma de todos os outros: "Somente se consegue bons resultados com gente qualificada trabalhando sério". Não existe milagre na produção de programas. Ninguém que queira se curar chama um encanador. Quem deseja trabalhar com iluminação, captação de imagens e produção deve procurar gente da área e de preferência com experiência comprovada. Tome também bastante cuidado no momento de contratar uma empresa qualquer para desenvolver um projeto. Tenha sempre à mão duas opiniões para comparação. Já vi muita coisa cara sendo empurrada para clientes desatentos. Nos teatros e casas de espetáculos então, nem se fala.
O que mais me perturba dentro e fora da universidade são o que eu chamo de "projetos exóticos". Vou explicar: Quando se pretende montar um espaço para captação de imagens, um estúdio, tudo é relevante. Quando então se constrói um espaço ou se gasta dinheiro reformando e comprando equipamentos, tudo tem que ser estudado num conjunto. O que acontece geralmente é que vem um engenheiro ou então um arquiteto, que não conhece nada do assunto (edificação de um estúdio) e monta um auditório para show de calouros. Não é brincadeira, isso acontece muito.
Estúdios devem possuir estruturas compatíveis com os projetos que serão ali desenvolvidos. Não dá para transformar um estúdio de entrevistas em um auditório de música de câmara só porque é natal. Por isso mesmo um estúdio é conseqüência de um projeto anterior, um espaço que é construído objetivando um determinado tipo de atividade. Isso é mais verdadeiro ainda quanto menor forem os recursos e os espaços disponíveis. Grandes estúdios podem rapidamente transformarem-se em pequenos sets, não o contrário. Daí a necessidade de direcionamento do projeto.


6) O que poderia ser dito á respeito da importância da maquiagem e indumentária na captação de imagens?

Quando falo sobre as necessidades de cuidados especiais na captação de imagens, tenho consciência que falo para dois públicos distintos. O primeiro é aquele de gente interessada em fazer do seu trabalho algo que possa ser prazeroso para outras pessoas. Essas pessoas geralmente estão mais abertas para alguns conceitos plásticos ligados ao que chamamos de estética e arte. Geralmente também o produto final desse segmento acaba se sobressaindo em relação a um outro tipo de público, normalmente mais experimentado e que acha que já sabe tudo na vida e que arte e estética não cabem no mundo, principalmente no mundo da tecnologia e da educação.
O mais interessante é que isso acontece também até mesmo dentro da arte. Conheço vários grupos e pessoas que trabalham diretamente com a arte e não se preocupam com a própria estética. Mas porque estou dizendo tudo isso? Porque precisamos urgentemente acreditar que a harmonia e beleza são essenciais em quaisquer atividades, assim como conhecimentos da linguagem artística. Os meios de comunicação e a propaganda já perceberam isso há muito tempo. Precisamos agora deslocar esse conhecimento para atividades mais positivas, entre elas a educação moderna.
Dentre os elementos de cena, os elementos humanos são os mais importantes. Não consigo imaginar por hora algo que seja tão importante para a educação quanto à própria figura humana. Essa imagem do humano é que nos aproxima, nos deixa íntimos com quaisquer assuntos. Sabemos que eles também são nossos e por nós. No caso específico da captação de imagens, a figura humana tem papel central em todo contexto da informação. Maquiagem e indumentária complementam essa imagem e então devem ser pensadas com cuidado e atenção.
Na captação de imagem, principalmente de programas de caráter informativo, a maquiagem deve se comportar como corretora e harmonizadora. A maquiagem nesse caso deve ser sutil, apenas corrigindo pequenas "falhas" de volume, cor e brilho. Harmonizando o rosto, a figura, com o ambiente e iluminação. Diferentemente de programas cuja expressividade é mais acentuada, onde a maquiagem funciona como linguagem de reforço ao personagem.
A indumentária tem sua importância na criação da "personagem" , aqui no sentido mais brando do termo - sentido de criação de uma imagem com suas peculiaridades. Isso facilita o reconhecimento entre público e "personagem". Tem sua importância também nas relações que cria entre os assuntos abordados, o clima, a época, ou seja, com a história narrada.
Tecnicamente, a indumentária deve ser estudada para contribuir com as relações de contraste e tridimensionalidade do personagem no set. Contribuindo para a harmonia das cores nas cenas e conseqüentemente de uma imagem e expressividade também mais fortes.
O que devemos ter sempre em mente é que tudo deve ser pensando como um grande todo, por isso mesmo, além da visão racionalista do projeto, precisamos dar espaço a visão e pensamentos intuitivos também. Apenas a intuição consegue abarcar a economia do todo, e , para isso, quem deseja trabalhar com as imagens deve necessariamente aprimorar seus conhecimentos de linguagem artística.

7) Você indicaria algumas literaturas e/ou sites para quem está querendo saber mais sobre iluminação?

Na área de iluminação especificamente não existe quase nada no Brasil em se tratando de literatura técnica, em compensação, muitos sites disponibilizam valiosas informações pra quem está começando. Gostaria de acentuar mais uma vez a importância da linguagem como objeto de estudo. Trabalhar com equipamentos, muitas vezes basta ler o manual de instrução. Aqui vão alguns livros e sites interessantes, entre eles mais uma vez o site do Laboratório de Iluminação.

http://www.iar.unicamp.br/lab/luz - Laboratório de Iluminação do Instituto de Artes da Unicamp.

http://www.rosco.com - Empresa especializada em equipamentos e acessórios para iluminação cênica, cinema, vídeo, etc.

http://www.tudosobretv.com.br/ - Este site se destina à pesquisa e informações em Televisão

http://www.edlumiere.com.br/index.php- Revista de iluminação profissional.


http://www.tecnopolitan.com/ - Revista argentina de iluminação profissional

http://www.gamonline.com - Produtos para iluminação.

http://www.luzecena.com.br - Revista de iluminação profissional.

http://www.leefilters.com/home.asp - Especialista em filtros para iluminação cênica, de vídeo, cinema e fotografia

http://www.willians.pro.br/indice.htm - Dissertação de mestrado de Willians cerozzi Balan - Prof. Ms. UNESP - FAC - Bauru.

Livros:

Autor Farina, Modesto, 1920-
Título Psicodinamica das cores em comunicação / Modesto Farina ; revisor cientifico Jairo Pires Leal ; diretor de arte Heliodoro Teixeira Bastos. -
Imprenta São Paulo : Ed. Edgard Blucher, c1982.

Autor Pedrosa, Israel, 1926-
Título Da cor a cor inexistente / Israel Pedrosa. -
Imprenta Brasilia, D.F. : UnB : Rio de Janeiro : L. Christiano, 1989.

Autor Camargo, Roberto Gill.
Título Função estetica da luz / Roberto Gill Camargo. -
Imprenta Sorocaba : TCM Comunicação, c2000.