Manifestações de pesar pela morte do maestro Benito Juarez

 

Foto: Acervo Projeto Memória IA  - Maestro Benito Juarez

Envie sua manifestação em breve publicaremos;

iaevento@unicamp.br

 

"Na data de hoje tivemos a triste notícia do falecimento do Maestro Benito Juarez.
Em 1970, graças ao empenho do Magnífico Reitor, Prof. Dr. Zeferino Vaz, e a resiliência do Maestro Benito, juntamente com o compositor Hanz Koellreutter e violinista Natan Schwartzman, foi fundado o Departamento de Música em 1971, célula matter do Instituto de Artes da Unicamp.
De forma singela, fica nosso pesar à família do Maestro Benito, alguns deles ex-professores do Departamento de Música do IA-Unicamp, como a Profa. Elizabeth Rangel Pinheiro de Souza, sua esposa, e Andre Juarez, seu filho.
Descanse em paz, Maestro."

Direção do Instituto de Artes

 

"Com profundo pesar iniciamos a semana com a triste notícia do falecimento do maestro Benito Juarez, que por 25 anos desempenhou a função de diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas. ... Neste momento de dor e consternação, deixamos os nossos mais sinceros pêsames a seus familiares e amigos. O prefeito Jonas Donizete decretou luto oficial de três dias na cidade de Campinas."

Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas - OSMC

https://www.facebook.com/591253370994472/posts/3108975095888941/?app=fbl

 

“Maestro Benito. 
Fundador do Curso de Música e também um dos responsáveis pela aprovação do Curso de Música Popular da Unicamp nas instâncias superiores da Universidade em 1989; ocasião  esta, em que, com a mesma força com que regia sua  orquestra, defendeu o primeiro Curso de Música Popular da América Latina,  o que foi, na época, registrado em ata na então Comissão Central de Graduação.
Como maestro, deu brilho e visibilidade internacional à Orquestra Sinfônica de Campinas da qual todos nos orgulhamos. 
Como chefe do Departamento de Música, valorizava seus funcionários e por vezes não media esforços para defendê-los diante de eventuais oportunidades de promoção.
R.I.P. Maestro!”
 
Cidinha

 

 

"O ano é 2002, já aos 75 anos de idade o maestro Benito Juarez faz mais uma contribuição para o meio musical, ele assume o projeto de reestruturação artístico/musical da Banda Sinfônica do Exército, tornando-se o diretor artístico e regente titular. Trazer um dos grandes nomes da música nacional para estruturar um conjunto sinfônico que pudesse estabelecer um elo artístico cultural com a sociedade brasileira, foi sem dúvidas uma grande "sacada".  O que para muitos seria uma quebra de hierarquia (e até poderia ser), foi na verdade um dos grandes acertos da Força Terrestre. Ao longo dos 13 anos que esteve no cargo, Benito levou a Banda Sinfônica do Exército para as maiores salas de concerto do país e contribuiu para que ela recebesse inúmeros prêmios, entre eles, o de "Melhor Projeto de Música Erudita" e o "Prêmio Especial de Cultura", ambos concedidos pela Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA. Com o trabalho desenvolvido pelo Benito, o Exército começou a enxergar a música não apenas como uma ferramenta funcional, mas também artística e de integração com a sociedade civil, trazendo para dentro do Exército, por exemplo, instrumentos como harpa, violoncelo, contrabaixo e piano, abrindo novas oportunidades para músicos de todo o país.
Em 2015, tive o privilégio de assumir o cargo ocupado pelo maestro Benito Juarez, devido a sua aposentadoria. E ali, dentro da caserna eu pude ver de perto todo o legado deixado por esse grande maestro, não apenas à Banda Sinfônica do Exército, mas à toda tradição musical existente no Exército Brasileiro. Muito obrigado maestro, seu legado é inegável e irrevogável!"

Eduardo Pereira (03/08/2020)